.

 

 

 

 

 

 

 

Postado em 06 de Março de 2017 às 08h56

Março terá bandeira tarifária amarela

Tecnologia (15)Econômico (15)

     Em março de 2017 a bandeira tarifária será amarela, com custo de R$ 2,00 a cada 100 kWh.

     A bandeira amarela é acionada nos meses em que o valor do Custo Variável Unitário – CVU da última usina a ser despachada está entre R$ 211,28/MWh e R$ 422,56/MWh. Segundo o relatório do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema (ONS), em março, o CVU da última usina a ser despachada ficou em R$ 279,04/MWh.

    No mês de março a previsão das vazões que chegam nos reservatórios das hidrelétricas ficou abaixo da expectativa anterior, o que levou a indicação de maior geração termelétrica como medida para preservar os níveis de armazenamento e garantir o atendimento à carga do sistema.

     Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o uso consciente da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

      De acordo com a regra, as faixas de acionamento vigentes são as seguintes:

  • Bandeira verde: CVU da última usina térmica a ser despachada for inferior ao valor de 211,28 R$/MWh.

 

  • Bandeira amarela: CVU da última usina a ser despachada for igual ou superior a R$ 211,28/MWh e inferior a R$ 422,56/MWh.

 

  • Bandeira Tarifária Vermelha: CVU da última usina a ser despachada for igual ou superior a R$ 422,56/MWh, conforme os seguintes patamares de aplicação:

 

  • Patamar 1: será acionada nos meses em que o valor do Custo Variável Unitário – CVU da última usina a ser despachada for igual ou superior a R$ 422,56/MWh e inferior a R$ 610/MWh.

 

  • Patamar 2: será acionada nos meses em que o valor do Custo Variável Unitário – CVU da última usina a ser despachada for igual ou superior ao limite a R$ 610/MWh.

      Com as bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica sem desperdício. A bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz: é uma forma diferente de apresentar um valor que já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido. As bandeiras sinalizam, mês a mês, o custo de geração da energia elétrica que será cobrada dos consumidores. Não existe, portanto, um novo custo, mas um sinal de preço que sinaliza para o consumidor o custo real da geração no momento em que ele está consumindo a energia, dando a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim desejar.


Fonte: http://www.aneel.gov.br/ em 01/03/2017

Veja também

Usinas solares começam a flutuar pelo mundo10/03/16 Usinas solares flutuantes A maior fazenda solar flutuante da Europa está sendo construída em um reservatório na Inglaterra. Mais de 23.000 painéis solares fotovoltaicos estão sendo colocados na superfície do reservatório Rainha Elizabeth II, perto de Surrey. A fazenda, que terá o tamanho equivalente a oito campos de futebol contíguos,......
NORD / Diazul colabora com o 9º Boi no Rolete em prol do Programa Viver01/11/16      O domingo, 16 de outubro de 2016 foi marcado pela solidariedade dos chapecoenses. Mais de mil pessoas participaram do 9º Boi no Rolete em prol do Programa Viver, promovido no Salão Paroquial da Catedral Santo Antônio, em......

Voltar para NOTÍCIAS